Varejo brasileiro cresce 2,1% em abril

O varejo brasileiro apresentou alta de 2,1% em abril, na comparação com o mesmo período de 2017, descontando a inflação que incide sobre a cesta de setores do varejo ampliado. Os dados são do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, o número reflete o que o varejista de fato observa na receita das suas vendas e registrou alta de 3,2% na comparação com o ano anterior.

O resultado do mês foi prejudicado pelo calendário. Em relação ao mesmo período do ano passado, o mês teve um sábado a menos (dia tipicamente mais forte no varejo) e uma segunda-feira a mais. Além disso, em 2018 a semana de Páscoa caiu em março – ano passado ocorreu em abril. No dia 30 do mês houve a ponte de feriado do dia do trabalho.

Ajustado aos impactos de calendário, o índice deflacionado apontaria alta de 2,6%, o que representa uma aceleração em relação ao observado no mês de março no mesmo conceito (2,2%). Já pelo ICVA nominal, com os ajustes de calendário, o indicador apresenta alta de 3,8%, na comparação com o mesmo período de 2017, tendo uma estabilização em relação a março (3,7%).

“O ICVA vem mantendo a trajetória de aceleração e mostrando uma recuperação consistente nos últimos meses, embora de forma lenta”, afirma Gabriel Mariotto, diretor de Inteligência da Cielo.

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apurado em março pelo IBGE apontou alta de 2,76% no acumulado dos últimos 12 meses, com uma aceleração comparada ao registrado em março (2,68%). Os itens do bloco de Habitação (principalmente Energia elétrica residencial – não refletido no ICVA) e Transportes, contribuíram para a aceleração do índice.

Ponderando o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação no varejo ampliado em abril ficou em 1,1%, tendo uma queda ao registrado em março (1,5%).

Setores

No conceito deflacionado com ajustes calendário, o mês apresentou aceleração em todos os macro-setores do varejo. O resultado do crescimento do mês, quando comparado com o mesmo período do ano passado, foi puxado principalmente pelo desempenho dos setores de Supermercados e Hipermercados seguido por Móveis, Eletrodomésticos e Lojas de Departamento. Por outro lado, o setor de Vestuário e Artigos Esportivos registrou desaceleração no mesmo período.

Regiões

Em relação às regiões, destaque positivo para as regiões Centro-Oeste e Sul, que apresentaram as maiores acelerações dentre as regiões brasileiras, segundo o ICVA Deflacionado com ajuste de calendário.

Pelo ICVA deflacionado sem ajustes de calendário, comparando com o mesmo período do ano anterior, o varejo ampliado na região Norte apresentou alta de 7,7%, seguido pelas regiões Nordeste e Sul com 3,4% e 3,2% respectivamente. A região Centro-Oeste teve alta de 1,9%, e a Sudeste de 0,9%.

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – o destaque foi a região Norte, que registrou alta de 7,8%. Em seguida, temos as regiões Nordeste e Sul, com crescimentos de 4,6% e 4,1% respectivamente. Já as regiões Centro-Oeste e Sudeste apresentaram crescimentos de 3,4% e 2,4% respectivamente.

Por: Mercado & Consumo

About the Author:

Mestre em Economia, especialização em gestão financeira e controladoria, além de MBA em Marketing. Experiência focada em gestão de inteligência competitiva, trade marketing e risco de crédito. Focado no desenvolvimento de estudos de cenários para a tomada de decisão em nível estratégico. Vivência internacional e fluência em inglês e espanhol. Autor do livro: Por Que Me Endivido? - Dicas para entender o endividamento e sair dele.

Leave A Comment

Avada WordPress Theme