Preço médio do smartphone comprado no Brasil deve chegar a R$ 999 este ano, prevê Samsung

O preço médio do smartphone vendido no Brasil deve subir 25% em 2019, passando de R$ 799 para R$ 999, prevê a diretora sênior de marketing da Samsung, Loredana Sarcinella. O aumento será impulsionado pelo movimento de trade-up, ou seja, de troca de celulares antigos por novos melhores e mais caros. A executiva compartilhou este e outros números de mercado durante o lançamento do smartphone Galaxy A9, nesta terça-feira, 22.

“Nós estamos bem otimistas com o mercado de smartphones em 2019. A Samsung hoje tem mais de 1,1 linha por pessoa no Brasil. E a troca de aparelhos tem acontecido – com mais frequência – para dispositivos mais sofisticados”, disse Sarcinella. “Este trade-up acontece não apenas no Brasil, mas também em outros países, pois os varejistas e as operadoras começam a dar mais ofertas aos consumidores”.

Para corroborar com sua fala, a diretora usou dados recentes do IDC e da GfK para afirmar que a Samsung possui 45,6% de market share no mercado de smartphones premium (com valores acima de R$ 1,9 mil), e que cresceu 24% entre 2017 e 2018 nesta categoria, oito pontos percentuais a mais que a média do mercado, 16%.

“Temos um grande esforço para trazer mais qualidade nesta categoria (premium) que possui vários concorrentes. É um mercado que está tendo um trade-up muito forte”, enfatizou a executiva. “Com este cenário, nós acreditamos que o preço médio do smartphone no mercado brasileiro vai subir de R$ 799 para R$ 999 em 2019”.

Entre as estratégias para angariar mais usuários nesta categoria está a melhoria nas funções dos dispositivos da linha Galaxy A, tornando-se uma alternativa aos consumidores que não conseguem ou não podem comprar smartphones das famílias Galaxy S, a principal e mais cara da Samsung.

Inicialmente, para atingir seus objetivos, a estratégia da companhia aposta nas câmeras dos dispositivos Galaxy A9, com quatro câmeras traseiras, lançado hoje, e o Galaxy A7, com três câmeras atrás, lançado em novembro de 2018. A fabricante deseja alcançar 346 milhões de impressões em campanhas digitais e 215 milhões de pessoas impactadas via TV com a campanha dos dois dispositivos.

Por: Mobile Time

By | 2019-05-11T20:12:11-03:00 18 março, 2019|Categories: Consumo, Mercado|Tags: , , , |0 Comments

About the Author:

Mestre em Economia, especialização em gestão financeira e controladoria, além de MBA em Marketing. Experiência focada em gestão de inteligência competitiva, trade marketing e risco de crédito. Focado no desenvolvimento de estudos de cenários para a tomada de decisão em nível estratégico. Vivência internacional e fluência em inglês e espanhol. Autor do livro: Por Que Me Endivido? - Dicas para entender o endividamento e sair dele.

Leave A Comment

Avada WordPress Theme