M-commerce movimenta R$ 24 bilhões em 2018 pela ClearSale

O Movimento Compre & Confie (AndroidiOS), empresa da ClearSale de monitoramento do comércio eletrônico, revelou com exclusividade a Mobile Time, ter registrado no ano passado 62,9 milhões de vendas via dispositivos móveis, totalizando R$ 24 bilhões em faturamento. As compras móveis responderam por 43% do total, ante 57% do desktop. Em média, cada consumidor móvel comprou seis vezes ao longo do ano, com  tíquete médio de R$ 376,70. Segundo a companhia, dos 23,2 milhões de consumidores únicos no e-commerce, 9,9 milhões fizeram compras via mobile em 2018, um aumento de 28% ante 2017.

“Na maioria das lojas online, a experiência de compra no mobile ainda não é tão boa como acontece no PC. Mas quando melhorar, ela pode crescer”, disse André Dias, diretor executivo do Compre & Confie.

Os dados são anônimos e foram captados pela plataforma do Compre & Confie por meio de 4 mil comerciantes que representam 80% do mercado brasileiro. Confira outros dados em gráficos e legendas abaixo:

Receitas, pedidos e tíquete médio

Embora atinja R$ 376,70 em tíquete médio, o valor ainda é 17% menor que a média dos PCs, R$ 463,10

Pedido por OS

Gráfico feito pelo Mobile Time

Na divisão por sistema operacional, o Android dominou o mercado com 83,4% do mercado contra 16,5%

Por região

Gráfico feito pelo Mobile Time

Os pedidos móveis nas regiões sul e sudeste dominam (84%) o mercado

Compras por idade

Gráfico feito pelo Mobile Time

Pessoas entre 26 e 50 anos são os grandes responsáveis por compras no comércio móvel, totalizando 71,2%

Por gênero

Gráfico feito pelo Mobile Time

Assim como ocorreu no total do e-commerce, as mulheres fizeram mais compras que os homens, porém o tíquete médio é menor, R$ 391,20 x R$ 524,30

Aplicativo

De acordo com a companhia, os usuários finais do app já denunciaram mais de 2 milhões de compras indevidas.  Quem se engaja ganha descontos e prêmios. Além do e-commerce, a companhia também pretende captar dados de empresas que trabalham no segmento online-to-offline (O2O).

“Para o lojista isso significa: mais conversão de vendas, confiabilidade, tratativa correta em compras indevidas, mais tráfego em lojas e relatórios ”, disse Dias. “Com isso queremos dar mais agilidade, segurança e protagonismo ao consumidor, além de oferecer prêmios”.

Por: Mobile Time

By | 2019-05-12T11:06:57-03:00 29 março, 2019|Categories: Consumo, Estratégia, Marketing Digital, Varejo|Tags: , , , |0 Comments

About the Author:

Mestre em Economia, especialização em gestão financeira e controladoria, além de MBA em Marketing. Experiência focada em gestão de inteligência competitiva, trade marketing e risco de crédito. Focado no desenvolvimento de estudos de cenários para a tomada de decisão em nível estratégico. Vivência internacional e fluência em inglês e espanhol. Autor do livro: Por Que Me Endivido? - Dicas para entender o endividamento e sair dele.

Leave A Comment

Avada WordPress Theme