Crise não afeta o mercado de mídia e entretenimento

No Brasil, setor deverá gerar receita de US$ 43,7 bilhões em 2021, revela estudo; veja as projeções e análises sobre vários aspectos.

O mercado de mídia e entretenimento no Brasil tem a expectativa de que o faturamento do setor aumente 4,6% ao ano no país até 2021.

Os dados são de um estudo global da PwC. No mundo todo este setor deve gerar US$ 2,23 trilhões em 2021, com um crescimento anual de 4,2% ao ano (taxa composta de crescimento).

As projeções sofreram uma redução em relação à edição anterior da pesquisa, no Brasil e no mundo. Em 2016, esperava-se que o mercado brasileiro crescesse a taxa média anual de 6,4%. No mundo, também houve um recuo em relação às estimativas para o resultado projetado para os próximos anos.

Instabilidades geopolíticas e econômicas em vários países são alguns dos motivos que explicam a redução. No Brasil, a desvalorização do real em relação ao dólar também contribui para esse cenário.

Entre os segmentos mais afetados no ano passado estão TV por assinatura, revista, livro, jornal e rádio. Esses setores também são impactados pela transformação digital no Brasil, em que o maior acesso à internet e levam o usuário a utilizar novas mídias e buscar novas experiências online de consumo.

No ano passado, por exemplo, pela primeira vez o setor de música digital obteve uma receita maior do que a de música gravada fisicamente, atingindo US$ 8,5 bilhões.

Crescimento

O crescimento da banda larga móvel e mudanças de comportamento do consumidor têm beneficiado outros setores. Nessa 18ª edição da pesquisa sobre mídia e entretenimento da PwC, alguns dos principais segmentos que se destacam nas projeções para 2021 são o de games (crescimento previsto de 17% ao ano), publicidade na internet (12% ao ano) e vídeos na internet (9% ao ano).

Mercado de dados

No Brasil, o consumo de dados em dispositivos móveis deve crescer 28% ao ano nos próximos cinco anos, passando de 7 trilhões de MB em 2016 para 24 trilhões de MB em 2021 – 77% da utilização de dados deverá ser direcionada para vídeos online. Nos próximos cinco anos, 177 milhões de pessoas deverão ser assinantes de internet móvel no país. Também é esperado um aumento da penetração da internet da alta velocidade, que deverá aumentar de 14% em 2016 para 48% em 2021. O total de consumo de dados no país ultrapassará a marca de 42 trilhões de MB nos próximos cinco anos, o que representa um crescimento de 23% até 2021.

Games

O país também se tornou um importante polo do mercado de games, com um crescimento estimado de 26% ao ano e uma receita projetada de US$ 712 milhões em 2021 – em 2016, o faturamento do setor foi de US$ 220 milhões.

TV

Outro mercado de destaque no Brasil em relação aos demais países da América Latina é o de TV por assinatura. A expectativa é que os gastos do consumidor com assinatura de canais de TV aumentem 2,4% ao ano até 2021.

O faturamento do setor deverá passar de US$ 6,2 bilhões em 2016 para US$ 7 bilhões daqui a cinco anos – o Brasil representa, hoje, o maior mercado da América Latina no que se refere a gastos do consumidor com TV por assinatura. O segmento de vídeo na internet também continua em uma projeção ascendente – a estimativa é que o setor tenha um crescimento de 8,8% ao ano até 2021, quando deverá movimentar US$ 181 milhões.

Em relação à publicidade, os gastos totais com publicidade no país, online e off-line, chegaram a US$ 10 bilhões em 2016. Cerca de 80% desse montante foram destinados às mídias tradicionais. No Brasil, a TV aberta continua dominando a preferência dos anunciantes – o setor obteve uma receita de US$ 5,2 bilhões em 2016. Em 2021, deverá chegar a US$ 6,9 bilhões. Nos próximos cinco anos, o faturamento projetado do setor é de US$ 13 bilhões, com um crescimento de 5,5% ao ano até 2021.

Mídias digitais VS Mídias tradicionais

Com a crescente demanda dos consumidores por novas mídias, a atenção dos anunciantes têm se voltado também para as plataformas digitais, embora os meios tradicionais continuem concentrando os investimentos.

Os gastos com publicidade na internet devem crescer 11,9% ao ano até 2021, chegando a US$ 3,6 bilhões, em um crescimento de cerca de 175% em comparação a 2016. Nas mídias tradicionais, a expansão esperada é mais modesta, de 3,5% ao ano.

Por: Consumidor Moderno

By | 2017-06-15T08:39:19+00:00 13 junho, 2017|Categories: Consumo, Marca, Mercado|Tags: , , , , |0 Comments

About the Author:

Mestre em Economia, especialização em gestão financeira e controladoria, além de MBA em Marketing. Experiência focada em gestão de inteligência competitiva, trade marketing e risco de crédito. Focado no desenvolvimento de estudos de cenários para a tomada de decisão em nível estratégico. Vivência internacional e fluência em inglês e espanhol. Autor do livro: Por Que Me Endivido? - Dicas para entender o endividamento e sair dele.

Leave A Comment

Avada WordPress Theme